Situados em Montijo, dispomos de um serviço personalizado, altamente qualificado e focado nos nossos sócios, num espaço tão harmonioso que promete deslumbrar…

+351 212 311 317 Cais do Seixalinho, 2870-491 Montijo Seg a Sex: 7h - 23h Sáb: 9h - 20h Dom: 9h - 13h
Siga-nos
Image Alt

PumpAddicted

A importância da FLEXIBILIDADE e como melhorá-la

A flexibilidade, é uma palavra vulgarmente usada no mundo do fitness e é uma componente que está diretamente relacionada com a prática de exercício físico e com a realização de várias atividades do dia-a-dia. Os alongamentos tornam-se numa peça fundamental para o desenvolvimento muscular e a sua recuperação, bem como para a melhoria da flexibilidade.

A opinião relativamente aos alongamentos é um pouco controversa, mas, geralmente, em qualquer prescrição de treino e aulas de grupo, recomenda-se que, a parte final (retorno à calma), deva sempre terminar com alongamentos aos grupos músculos trabalhados (durante aproximadamente 10minutos).

 

Como alongar para ter resultados?

Existem diferentes tipos de alongamentos que podem ajudar-vos a melhorar a vossa flexibilidade.

De acordo com o um artigo do International Journal of Sports Physical Therapy: “3 técnicas de alongamento de músculos são, frequentemente, descritas na literatura: Alongamentos Estáticos, Dinâmicos e de Pré-contração. O tipo tradicional e mais usado é o alongamento estático, onde é mantida uma posição específica, com o músculo em tensão até um ponto em que há uma sensação de alongamento, e é repetida.”

Os alongamentos são típicos das aulas de stretching e consistem na manutenção de uma posição. Os exercícios isométricos podem ser bons exemplos.

Segundo o American College of Sports Medicine (ACSM), as atividades de alongamento devem ser feitas regularmente, pelo menos duas vezes por semana. E, no caso dos alongamentos estáticos, a posição deverá ser mantida por 30-60 segundos e repetida 3-5 vezes.

Os alongamentos mais básicos, segundo a mesma fonte, envolvem: isquiotibiais, músculos flexores da coxa, gémeos, peito e grande dorsal. Truques para irem aperfeiçoando a vossa técnica: modalidades e exercícios específicos.

O yoga, pilates, aulas de body balance, e de stretching são boas opções para melhorar a flexibilidade.

São ótimos para correção postural e algumas delas, como o Yoga e Pilates, trazem inúmeros benefícios, como uma profunda harmonia entre corpo e mente, podem ajudar a prevenir dores nas articulações e melhorar a circulação sanguínea.

Embora cada modalidade tenha a sua especificidade, todas elas são importantes para obterem mais agilidade e se sentirem mais aliviados, com menos tensão no corpo.

Se pensam que uma destas aulas é muito soft, então desafiamo-vos a experimentar e verão os seus benefícios, bem como o seu grau de exigência e dificuldade

 

Conclusão:

Tal como a nutrição, treino e descanso, a flexibilidade deve ser sempre considerada como um bónus no vosso treino, ou seja, algo muito importante, pois é algo que vos pode ajudar a melhorar a vossa performance física.

Ela pode potenciar um maior desenvolvimento muscular, melhorar a recuperação, proporcionar uma maior agilidade e mobilidade, potenciar o vosso bem estar diariamente, facilitando a execução de atividades simples do dia-a-dia e, ainda, promover consciência corporal, melhorando a eficiência neuromuscular, o equilíbrio entre corpo e mente.

Se tiverem algum tipo de patologia, falem primeiro com o vosso médico e profissional de exercício, para vos dizerem o que podem ou não fazer, e para vos recomendar uma destas aulas, ou treino, para acelerarem a recuperação.

Bons treinos!!!
Sara Freitas